A argola na carola

Ontem, por mero acaso numa película que observava distraidamente no âmbito de uma análise científica ou assim, dei de caras com a primeira pila com piercing que me entrou pela vista.

E confesso-me perturbado, ao ponto de ter que expurgar o desconforto numa posta.
Reparem, eu sou da escola clássica, a dos gaijos que tratam a sua pila como um órgão sensível e delicado (por isso até temos mais a preocupação de lavar as mãos antes do que depois de fazer chichi). Nunca me ocorreria sequer aproximar qualquer objecto de metal do dito cujo, quanto mais (arrggghhh) furá-lo, trespassá-lo, pendurar-lhe uma anilha que num dia daqueles bem azarados até pode prender-se num sítio qualquer...

Sim, a ideia é horripilante (passe a redundância) mesmo para quem não possui entre pernas um desses membros que no meu entender de usufrutuário devem ser estimados porque a vida são dois dias e tesão, feitas as contas, é só um...
Por isso me chocou aquela visão da argola pendurada mesmo na carola do coiso do bacano que protagonizava na altura um filme de acção ou algo parecido que agora me escapa. E não contente com aquele penduricalho no propriamente dito (outra redundância, eu sei), ainda ostentava uma outra ao pendurão na bolsa de acessórios!
Não é uma questão estética, que gostos não se discutem. É mesmo estupefacção por alguém ser capaz de entregar a sua piroca às mãos de um calmeirão barbudo que lho fure como se fosse uma orelha. E depois ainda ser capaz de lhe entregar o resto da cena para esburacar.

Desculpem partilhar convosco esta imagem desagradável, mas eu sou um homem muito sensível e estas coisas deixam-me assim, silly seasonado.

50 comentários:

gaija do norte disse...

espera só um cadito que eu vou ali almoçar e já cá venho. é que parei logo na primeira frase porque não percebi como é que tu, quanto mais não seja porque és um estudioso, nunca tinha visto semelhante!

Odalisca disse...

looool
Ja' vi isso, inclusive tive namorado que tinha, mas nao trespassava de um lado ao outro isso sim deve ser horrivel! Hoje em dia ja se ve de tudo!!

Beijokas

shark disse...

Ainda te surpreendem os meus laivos de virgem reprimido, Gaija?
;)

shark disse...

Odalisca, não tenho coragem de te perguntar se não te fazia impressão.
É que se trata da pila da pessoa, fazer-lhe furinhos é um conceito teoricamente lancinante para mim.

sem-se-ver disse...

teoricamente e na prática, shark.

saliente-se que detesto furos de qualquer espécie, incluindo os inofensivos nas orelhas para brincos normais - e nem falo daquela fileirada de argolas, argolinhas, piercings e sei la que mais que elas/eles agora poem, incluindo na abertura da cavidade auricular, o que me deixa sempre a pensar como é que fazem a higiene interna dos ouvidos. mas adiante.

dito isto, sou, como se pode facilmente concluir, altamente preconceituosa quanto a piercings.

(e não só, mas isso agora não interessa nada)

para além da marca animalesca que piercings, e nem sequer indirectamente, ostenta (argolas poem-se entre as narinas das vacas e dos bois mansos, como forma de melhor os 'conduzir' quando puxam carroças), o acto de furar o corpo e, pior, com marcas que serão para sempre (salvo se sujeitas posteriormente a cirurgia plástica), é estúpido, anti-natural, profundamente inestético e, salvo raríssimas excepções, opção de adorno corporal que é temporário, ie, fruto de moda passageira.

se já o acto de furar o corpo me merece estes comentários, os piercings genitais são, e não me venham com tretas porque são mesmo, auto-mutilação. como todas, do foro patológico e, por isso, tratáveis clinicamente.

e se (ja estou como a gaija) me custa a acreditar que nunca tivesses visto foto de um piercing num falo, posso assegurar-te que nunca mais esqueci foto de um que vi num documentário televisivo sobre esta temática: todo, e quando digo 'todo', era mesmo 'todo' o pénis, incluindo o escroto, estava completamente coberto de argolas, de diferente dimensão. tão abominável quanto, verdadeiramente, indescritível.

se o seu portador não foi internado de imediato num hospital psiquiátrico, deveria tê-lo sido.

para acabar: nao acho que este seja tema de silly season, de todo. e só dou graças a deus por duas coisas - 1ª, não ter filhos (a minha ascendência sobre os meus alunos nao tem sido bem sucedida, neste aspecto) ; 2ª, ser de uma geração que nao se mete, regra geral, nessas cenas maradas, o que me garante (tem garantido) nao apanhar com piercings em lado nenhum, mesmo nos que ainda se mantinham escondidos, antes de ter momentos íntimos com as pessoas com quem me tenho envolvido!!

(e com isto já ficaram a saber que não me meto com adolescentes e jovens inconscientes; podem ser inconscientes, mas são adultos a quem estas práticas nada dizem)

gaija do norte disse...

vi esse documentário, ssv, e até hoje não entendo como é que a papelada (não gosto de falo, pronto...) resistia. lembro-me de ter pensado nos problemas de coluna que o rapaz estava a preparar!

shark disse...

ssv, fico mesmo vaidoso por te merecer um comentário tão extenso como intenso.
Não estou a brincar.

GormezindaDoRestolho disse...

Confesso q faz-me muita confusão, certos adormos dados como modas q cada vez mais ve-mos desfilar neste mundo.
Se cada vez mais dá-se valor ao descartavel (eu não...), não consigo compreender o q leva alguém a mutilar (para mim é sem duvida mutilação)o corpo com algo q é permanente seja pircings sejam tatuagens. Permanente para mim só a morte.
Tenho reparado na praia certas cotas com tatuagens dependuradas nas banhas e nas peles e só consigo pensar q ainda bem q nunca me deu para tal...
Há uns tempos mandaram-me um email, onde num video se mostrava uma mulher a "levar" com um pircing no clitóris. O salto q ela pregou e o bérro q ela deu, arrepiou-me todos os pelinhos q tenho na pele e acho q até me arrepiou as velosidades intestinais.
Felizmente, ao meu rebento nunca lhe passou pela cabeça uma "cena" dessas...

shark disse...

Se a minha marafilha lhe der para aí, confesso que não sei como reagir.
Mas à partida faz-me alguma confusão...

calamity jane disse...

Ia comentar mas a SSV e a Gormezinda já o fizeram e muito disseram. Não resisto, contudo, a deitar mais uma achazinha na fogueira... Só um bocadinho que eu já volto

calamity jane disse...

pronto, achei a minha achazinha.

http://nadacomorealmente.blogspot.com/2007/10/buacos-e-buaquinhos-funhos-e-crateras.html

O Santo disse...

vou tentar comentar de uma forma concisa mas esclarecedora

arghhh...

gaija do norte disse...

comeste alguma coisa que te fez mal, santinho?

Gabs disse...

E na língua hem? Não imagino uma tortura pior, segurarem com uma pinça e furarem a língua, iac! E depois para comer? Ganda nojo, agora percebo as escovas de lavar línguas.

shark disse...

Mal por mal preferia na língua, Gabs...

shark disse...

Santo: ficamos conversados.

shark disse...

CJ: já li o lençol e fiquei sem saber afinal qual é mesmo a tua opinião.
É que li lá a descrição de um masai e que não tens preconceitos contra os piercings.
E eu tenho preconceitos contra os piercings, nomeadamente na genitália, mais concretamente na minha...

Gabs disse...

Shark, pensando no caso da genitália no feminino, acho que concordo contigo...

Mente Quase Perigosa disse...

Bruce, há uns anitos vi um piercing num clitóris num filme qualquer. Posso dizer-te que até hoje, quando penso nisso, tenho o reflexo de fechar as pernas com muita força.

Acho que percebes a minha opinião através deste singelo contributo, não?

O Santo disse...

se bem q na lingua pode ter o seu interesse. pulp fiction, remember??

Gabs disse...

Olha-me este... faz tu....

E as férias, hem? Hem?

calamity jane disse...

Bom, então deixa-me lá ser clara: não tenho preconceitos mas acho horrivel. Sobretudo na genitália, mamália e aquelas coisas que consistem em ligar orelha e lábio, ou nariz e sobrancelha por meio de uma corrente. Essa gente não terá amor ao próprio corpinho???

shark disse...

Foste clara e transparente.
E não, não acredito que essa gente tenha amor ao próprio corpo. Nem à alma, por inerência.

Carlos Porto disse...

Boa noite a todos e a todas.
Por mera casualidade entrei neste blogue e fiquei admirado pelas várias cabronices que por aqui aparecem.
Achei interessante este tema e, se me permitem, há alguns anos atrás tive uma "amizade" com uma senhora que tinha a paranóia de usar piercings em sítios que, embora de mentalidade aberta, fiquei deveras espantado. Nada que no seu aspecto exterior podesse ser vizualizado. Foi tamanho o susto que a minha primeira vez, com esta senhora, ficou mesmo por aí.
Arre que só de imaginar até fico arrepiado.
Continuação de excelentes cabronices.

shark disse...

Boa noite, Carlos.
Posso sugerir-te que comeces a precaver-te com um detector de metais?

shark disse...

Peixa, ainda não consegui livrar-me da imagem de ti a apertares muito as pernas.
Tá mal, esse recurso indiscriminado aos audiovisuais.

Mente Quase Perigosa disse...

Desde que vi aquilo, Bruce, passei a dar muito mais valor às minhas partes pudibundas imperfuradas.

Palavra de gaija escamosa!!!!

gaija do norte disse...

(partes pudibundas imperfuradas??? era preciso chegar a tanto, peixa?)

Mente Quase Perigosa disse...

(ninguém deu conta, Gaija, deixa lá...)

gaija do norte disse...

(dei eu, e tou até agora com as perninhas bem apertadinhas!!!)

Mente Quase Perigosa disse...

(tás tu e estou eu!!!!!!!!!!!!!)

gaija do norte disse...

(e ficamos por aqui!)

Mente Quase Perigosa disse...

(Taj Mahal)

shark disse...

(Angkor Vat)

shark disse...

(chichen itza)

shark disse...

(eu gosto de chichen)

beto alicate disse...

Também estou com as pernas apertadinhas!

gaija do norte disse...

(e eu vou acordar com dores musculares e não vou gostar! podemos para com a cumbersa?)

Mente Quase Perigosa disse...

(Eu calei-me!!! O Beto é que insistiu. Foi ele, foi ele!!!)

só para contrariar a tendência disse...

amanhã vai estar céu temporariamente nublado mas com boas abertas.

gaija do norte disse...

só tu é que ainda vais na treta do beto!

gaija do norte disse...

tendência palhaço!...

Mente Quase Perigosa disse...

Gosto de betos, pá. Que queres que eu faça?

edito estrelas disse...

(há nessa dupla uma confusão de géneros...)

gaija do norte disse...

não há! é o tendência e foi ele que escolheu o género...

palhaço com tendências disse...

pronto, tenho uma tendência irreprimível para fazer humor.
Queres fazer humor comigo?

Mente Quase Perigosa disse...

Já viram as horas? Tenho mesmo que ir... Compromissos...

(antes que isto fique com bolinha vermelha)

anedotas sem piripiri disse...

(eu não falei em anedotas picantes, ó mente mesmo perigosa!)

Mente Quase Perigosa disse...

Anedotas, se eu estivesse aqui, eu respondia, mas como já fui...

gaija do norte disse...

tá bein! fico sempre tão bem humorada quando fazemos humor!

(inté, peixa...)