Como dar bandeira e arranjar um 31



Dois membros do Movimento 31 da Armada estão a ser interrogados pela PSP, depois de se terem dirigido aos Paços do Concelho de Lisboa para devolver a bandeira do Município

11 comentários:

gaija do norte disse...

já rainha naquela corte... não obrigada!

shark disse...

Eu não achei piada ao 31 da escalada. Mas o meu sentido de humor republicano e laico não dá pra mais...

tereza disse...

Naquela corte nem por um dia queria ser rainha

tereza disse...

Shark, achas que o humor deve ter limites ideológicos? Que os católicos não se podem rir com piadas sobre a Igreja, os monárquicos não devem esboçar um sorriso com o mel brooks e os muçulmanos serão condenados à morte se rirem com as caricaturas de maomé? E o Herman a gozar com a Rainha Santa? Heresia?
Não sou monárquica mas ri bastante com o atrevimento deles e gostava de ter lá estado.

RED disse...

Para mim não tem, Tereza.

Os católicos também ficaram muito ofendidos com o episódio do Gato Fedorento "Louvado sejas Magalhães" e eu achei um piadão.

Também sou capaz de rir de mim própria e de resto pouco importa se sou ou não católica, monárquica, de esquerda ou de direita.

tereza disse...

RED também costumo ser a primeira a rir de mim.
Os católicos, ou alguns católicos podem ter ficado ofendidos. Tal como alguns muçulmanos também ficaram. E alguns republicanos. E alguns monárquicos. E por aí fora. Mas acho, acredito, que o humor, pela sua própria natureza, não é ofensivo e o direito a rir devia fazer parte da carta universal dos direitos do homem.

shark disse...

Mas já que falas tanto de humor, explica-me onde está a piada.

shark disse...

É que posso sempre louvar a irreverência adolescente, mas não na óptica do sentido de humor que não encontro no acto em causa.

RED disse...

Nem mais, Tereza!

Os "31 da escalada" fizeram-me rir mas em vez da bandeira teria posto um soutien ou umas cuecas mas isto sou eu que sou uma disparatada.

tereza disse...

Cheguei agora. Já cá volto para responder a todos.

CybeRider disse...

Talvez não tenha achado a piada toda porque o senti como um acto de rebelião (como tal, confesso, contra valores que defendo).

Mas dou-lhes um crédito, seguiram as suas convicções, como eu gostaria de seguir as minhas, e estão a comer com as consequências, não negaram o acto nem chamaram a mãezinha. Quando assim é têm o meu respeito, ainda que lhe dê também a minha discórdia.

(Mas isto sou eu, que sou meio...)