Deu-nos uma fúria do açúcar

Lembram-se?

Na Primavera o amor anda no ar.
Na Primavera os bichos andam no ar.
Na Primavera o pólen anda no ar
E eu não consigo parar de espilrar.


No Verão os dias ficam maiores.
No Verão as roupas ficam menores.
No Verão o calor bate recordes
E os corpos libertam seus suores.


Pois é. O calor aperta, a sede desperta e eu e a Peixinha temos andado a trabalhar furiosamente para a felicidade de todos. Os sacrifícios têm sido muitos, já tivemos de passar uma noite a afogar em Vodka os traumas, mas temos tanta, mas tanta coisinha para contar...
Longas e longas conversas que estão quase a virar livro. Um lá-mi-ré? Está bem, nós damos...

Sabem que sempre gostámos de malucas. Sabem que há muito que uma maluca não aparece por aqui nas nossas caixinhas de comentários e nós tínhamos saudades, porque tínhamos. Assim, decidimos que se as malucas não vinham até nós teríamos nós de ir à procura de uma.
Conhecem a expressão "cuidado com o que desejas que te pode ser concedido?". Encontrámos não uma maluca mas A Maluca, a mãe de todas as malucas. Tem sido uma verdadeira incursão ao mundo do non-sense, da loucura, da lógica da batata, do amor pingado. Palavras como "pequenito", "bebé", "lindo" e, last but not the least, "coelhito", passaram a fazer parte do nosso mundo e o abalo sofrido foi grande, como já expliquei em cima numa determinada altura teve mesmo de ser amenizado com uma garrafa de Vodka, mas temos o enorme prazer de anunciar que o estudo sociológico sobre uma gaja, uma verdadeira gaja, apaixonada está quase a rebentar por aqui.

Das dezenas, diria até centenas, de emails trocados escolhemos alguns da nossa maluca de estimação para aguçar o apetite. Estão longe, muito longe, de serem os melhores, mas não queremos servir já as sobremesas. Fiquem com as entradas e já gozam.
(será escusado dizer que não houve qualquer edição da forma e ou do conteúdo...)

"EU ADRO-TE!se es tu dis-me o nome do teu coelho"


"voçe deve querer é informaçoes e eu parva conto,nem o nome do coelho sabe"

"E JA AGORA PONHA O SEU COMPUTADOR NA CORRECÇAO DE ERROS E ESCREVA VOÇE,PARA VER  SE ELE CORRIGE A CEDILHA."

"FAZES MUITO BEM EM LER,eu adoro ler,eu estava a falar daqueles livros nostalgicos de cultura neurotica"

"para ti so interessa ser importante?ouvir aquelas musicas nostalgicas,ler livros bons,mas deprimentes?sera que sabes o que é ser alegre?rir com a vida e nao ter a neurosa da cultura?" 

"nunca gostei de um rapaz pelo exterior dele,eu quero vr se es a pessoa linda,mas nao é no exterior,nao me importa que sejas feio,quero ver se es a pessoa linda,ao falar contigo,se és a pessoa linda por dentro,sabes quando me bloqueias-te ,fiquei to sozinha,nao acreditava que aquela pessoa que me escrevia aquelas coisas,me tinha feito aquilo,queria falar contigo,ia ver o teu nome,onde estava o meu bébe"

Falta uma pequena informação - esta nossa maluca apresenta-se como feliz possuidora de várias licenciaturas, mestrado, técnica superior numa entidade pública e jura-nos, a pés juntos, que por lá toda a gente escreve assim e a chefe dela não liga a pormenores de escrita. Essa é, talvez, a informação mais credível de todas as que nos deu... Vá-se lá saber porquê.
E agora, não percam, brevemente, os próximos episódios!

5 comentários:

Fusão do Atomo disse...

Regresso em óptima forma, Tereza!

Não lia nada assim tão....tão...tão...ok, tão, sei lá tão coiso, desde que deixei de frequentar chats e afins. Mas pelo que leio a coisa está a desenvolver, nota-se já um fino humor e quiçá uma ponta de malicia.

O Coelhito que continue a escrever, e deixe de enfardar cenouras de cultura neurótica.

Ansioso por mais, fico a aguardar.

tereza disse...

Fusão, tu não digas nada... acabei de me lembrar que o meu signo chinês é.... Coelho!!!
(mas estou bem acompanhada na desgraça... muito bem...)

A história do coelhito vai acabar de ser contada, descansa. Mas o coelho, o próprio, teve uma sorte triste...

Rachel disse...

Tereza,
Eu, dona de casa desesperada e MALUCA, andava já a pensar que teria de rumar ao sul, como os pássaros e lá chegada começar aos gritos e perguntar "cadê as cabras, carbalho?!?!?!"

Isto não se faz.

Ando eu perdida por outros blogues, como se fosse uma agarrada à procura da fruta!

Mas não há fruta como esta, portanto, é continuar a escrever, para deleite das que não têm mais nada com que se entreter, ok?

Love,
Rachel.

tereza disse...

Prometido, Rachel!

(Soubéssemos nós que estavas tão disponível e tínhamos-te arregimentado para ajudar a alimentar a nossa maluca. É que é de muito alimento, andamos estoiradas... :)) )

Mente Quase Perigosa disse...

Rachel: Não vale a pena entitulares-te maluca. Porque se fosses realmente maluca, saberias que é çaralho e não carbalho!

Fusão: o Coelhito já não escreve nada… Viste o Instinto Fatal, não viste?