Sem fazer de conta

São escolhas que fazemos. As decisões que tomamos, sempre em função dos interesses que preferimos acautelar, influenciam o rumo do que no futuro teremos para decidir.

E às vezes fazemos escolhas erradas, muitas vezes influenciadas por algo em nós que tentamos disfarçar a custo com um sorriso simpático ou com gestos que possam iludir os outros quando nos topam os lados menos bons. Nem sempre com sucesso, pois as evidências acabam por saltar à vista quando não conseguimos reprimir o impulso primordial, aquele que nos trai.

São opções que abraçamos. Escolhas que fazemos em função de circunstâncias e da simples satisfação de interesses pessoais. Apelos individuais que constituem um direito elementar e nos permitem seleccionar os actos e as palavras de acordo com a consciência que tivermos ou o valor que atribuímos aos dois lados da balança de que nos compete ser o fiel.
Barramos a imagem com o doce do mel, mas depois escapa-nos a tendência inata, o descuido que destapa a careca que alguns se esforçam por esconder.
Implantes que não conseguem evitar a dura realidade que sustenta qualquer verdade que camuflemos por detrás de uma fachada qualquer.

À mostra, quando aquilo que se quer não corresponde ao que se pretendia revelar.
E depois caímos do pedestal...

10 comentários:

gaija do norte disse...

a queda não tem importância. o que interessa é que se caia de pé!

já te disse hoje que gosto muito de ti?

shark disse...

Eu também gosto cada vez mais de ti, neca...

gaija do norte disse...

gaija neca, se faz favor...

gaija do norte disse...

:)

escarlate.due disse...

quem escreveu este texto deve ser um génio para ter acertado tão em cheio.




e por aqui estão todos bem, não estão?!
fica 1 beijo (repartam-no como bons irmãos ou... de +referência como bons amigos)

gaija do norte disse...

é um génio, sim, escarlate!
(neca, por cá, só eu!)


e tu, estás bem?

shark disse...

Um génio??? Escarlate, queres dar cabo de mim?
Olha, todos bem não estão pois como deves reparar há muito que alguns nem piam...

shark disse...

Gaija linda, também tu? Mas qual génio, qual carapuça.
Um artolas, é o que sou. (e artolas, por cá, só eu!)

made in ♥ love disse...

dizem que a dignidade não esta em cairmos mas sim como nos levantamos... algo assim ...

Um beijinho
Eduarda
Be in ♥ love

shark disse...

Acho fabulosa essa interpretação de dignidade, Eduarda.
Porém, em alguns casos (e tem apenas a ver com o que provoca a queda) a dignidade sai muito beliscada.
O que não desmente, de todo, o pressuposto que, insisto, é muito acertado.

Outro (beijinho)