Para acabar de vez com os mal entendidos

Há coisas com que não se brinca. Não por terem um qualquer estatuto de superioridade intocável mas por serem tão repelentes que nem para fazer graçolas servem, quanto mais gracinhas.

Imaginemos a seguinte situação. Eles estão os dois deitados, acabaram de acordar, o choco ainda é bom. O braço dele passa-lhe por detrás das costas e ela afaga-lhe o pescoço com o cabelo.

Ela: Estou a magoar-te o braço?

Ele: Não. Se estivesses a magoar já tinhas levado duas estaladonas.

Gaijas, todas nós sabemos que este é um diálogo possível, que nos deixa bem dispostas, que nos leva a enroscar ainda mais um bocadinho e a desligar a porra do alarme do telefone.

Agora ponhamos a coisa assim.

Ela: Estou a magoar-te o braço?

Ele: Não. Se estivesses já tinhas levado tau tau.

Digam-me, gaijas, quantas de vocês não saltariam imediatamente da cama, lhe atirariam os truces à cara – sim, um tipo destes usa truces e camisola interior com alças – e não lhe indicariam a porta da rua com ordens expressas para esquecer o vosso nome?

Gaijos, não brinquem com coisas sérias. Não nos obriguem a desprezar-vos porque assim como assim nós até gostamos de braços pelas costas e choco de manhã. Nem todos vocês podem ser giros e ter o sentido de humor do Ricardo Araújo Pereira, e se não sabem o que dizer, se têm dúvidas sobre a piada, mantenham-se caladinhos que vos fica sempre bem e vos dá um ar de mistério que até nos agrada, mas não arrisquem. Depois do mal estar feito já não há regressão possível e nem que tenham o charme do Clooney nós voltaremos a olhar-vos libidinosamente.

Há mais umas gracinhas que nos gelam for ever and ever mas como a mente ainda não escreveu sobre elas e como já foi avisada pelas chefias deste estabelecimento que é melhor não o fazer porque só vos dá ideias estranhas, este era mesmo o esclarecimento mais urgente. Outros se seguirão já que me parece que ainda há um longo caminho a percorrer nesta estranha educação de Rita que virou Rito.

8 comentários:

Anônimo disse...

Imaginemos uma situação.
Ela: Estou a magoar-te com o braço?
Ele: Não, porque se tivesses já te tinha partido os dentes.

Das duas uma, ela enrosca-se a ele, ou ela diz: Vái partir os dentes á P... da tua Mãe, porque cabrão nenhum me põe a mão em cima.

Fica a dúvida. Para mim, "ambas as duas" podem ser realidade.

A TPM tem destas coisas!

Fusão

tereza disse...

Lá está Fusão. Há coisas com que nenhum pode brincar, há outras com que alguns podem brincar. A verdadeira sabedoria é conseguirem perceber se fazem parte desta pequena minoria ou não. Em caso de dúvida, volto a repetir, é melhor ficarem mudos e quedos.

(mas não te preocupes que por aqui, e fartas que estamos de mal entendidos, ponderamos sériamente dar uns cursos de formação. atempadamente terás mais informações sobre datas, requisitos e preços porque trabalhar de graça em prol de todas já era...)

Anônimo disse...

Rito ou Ritto?

Fusão

Anônimo disse...

Alguém disse que:

Aprendam sempre, sem pensar que a sabedoria chega com a idade.

Fusão

Jácome D`Alva disse...

Não se trata de sabedoria nem experiência. Trata-se de algo muito mais importante para a vida e que não se aprende nos livros nem se compra na farmácia. É genético, ou se tem de nascença ou não. BOM SENSO.

tereza disse...

Exactamente, Jácome, mas é tão difícil de encontrar. Até só o senso quanto mais o bom...

tereza disse...

Fusão, com a idade pode chegar muita coisa, sabedoria não me parece

Anônimo disse...

TEREZA

Se a idade não dá sabedoria, é porque se passou a vida a olhar para o "boneco".....acontece!


Fusão